Batismo, o que é? E o que significa?

Batismo nas águas

Batismo, o que é? E o que significa?

O batismo é uma espécie de casamento com Cristo. Quando dois jovens se amam, o que mais querem é viver juntos. O que acontece no casamento entre dois jovens? Adornam a igreja com flores, reúnem os amigos, põem tapete vermelho. Ela se veste de branco, ele põe ‘smoking’ preto. E diante dos irmãos e amigos, declaram que se amam e que querem viver juntos para o resto da vida. Assim acontece connosco, seres humanos, quando somos encontrados por Jesus Cristo, e Ele traz paz, perdão, tanta coisa linda para nossa vida, e resolvemos viver para Ele, para sempre. Então, reunimos os amigos na igreja, convidamos os irmãos, enfim, e publicamente, declaramos que queremos viver somente para Jesus Cristo. Isto é o batismo.

A finalidade do batismo é dar testemunho público da fé e salvação em Jesus Cristo.

Com o acto do batismo, proclamamos sem palavras e publicamente, e especialmente diante da Igreja e do Mundo, a salvação e a transformação que Jesus realizou em nosso interior. Isto glorifica ao Senhor (1a Cor. 6:20).

O ato do batismo é um momento de alegria no Céu. É um ato solene, festivo e de grande importância para a vida do batizando e da Igreja que o recebe.
Quando o salvo desce às águas e é coberto por elas, declara que, ao crer em Jesus, morreu para o mundo de pecado e foi sepultado com Cristo.

Simbolicamente, quando ele sai das águas, está declarando que ressurgiu para viver uma nova vida em Jesus Cristo (Rom. 6:6-14; Col. 2:12).

Assim, o significado do batismo é morte, sepultamento e ressurreição.

Quando somos batizados, declaramos que Cristo morreu na cruz pelos nossos pecados para que nós morrêssemos para o pecado. Declaramos, ainda, que nos arrependemos, cremos pela fé e aceitamos a Cristo e Seu sacrifício como único meio de salvação, que recebemos o perdão, estamos salvos e seguros em Cristo e dispostos a servi-Lo e segui-Lo todos os dias da nossa vida.

Portanto, a finalidade do batismo é dar testemunho público da fé e salvação em Jesus Cristo. Com o ato do batismo, proclamamos sem palavras e publicamente, e especialmente diante da Igreja e do Mundo, a salvação e a transformação que Jesus realizou em nosso interior. Isto glorifica ao Senhor (1a Cor. 6:20).

O batismo só deve ser ministrado a quem já se converteu a Jesus; quem tenha experimentado arrependimento sincero de pecados, tenha crido pela fé em Cristo, tenha certeza do perdão e da salvação.
O batismo não salva nem ajuda a salvar e não lava os pecados de ninguém. Da mesma forma, as boas obras não salvam nem ajudam a salvar. Lembre-se: Jesus salva sozinho.

Não devem ser batizadas crianças recém-nascidas, e as que ainda não atingiram a idade da razão e consciência de pecado. O batismo de um criança recem nascida não tem valor nenhum e cria uma doutrina errada na mente dos adultos. Só quando o ser humano tem consciencia de pensamento é que tem capacidade de ter fé.

Ninguém pode exercer fé no lugar da criança, nem por qualquer outra pessoa.
Cada um responde por si diante de Deus (Rom. 14:12).
Pela criança responde a sua inocência (Luc. 18:15-17). Se morrer sem consciência de pecado está salva. Nós costumamos apresentar as crianças a Deus, conforme o desejo dos pais, consagrando-as e orando para que Deus as abençoe e as livre do mal.

Trata-se de uma tradição bíblica muito importante desde o Antigo Testamento. Era feito sempre pelos judeus. O Senhor Jesus, com oito dias de nascido, foi levado ao Templo para ser apresentado e consagrado a Deus (Luc. 2:21-24). Porém isto nada tem a ver com o batismo. Jesus nos deu o supremo exemplo em tudo. Jesus batizou-se com quase 30 anos (Luc. 3:21-23).
Não devem ser batizadas pessoas que não creêm em Jesus.  A única condição para o batismo é crer (arrepender dos seus pecados e aceitar Jesus como seu Senhor e Salvador). E era realizado logo após terem escutado o evangelho, a conversão e crença era representada com o batismo, a única pessoa que demorou mais tempo, devido ás circunstâncias, foi Paulo (3dias) e foi chamado atenção por Ananias “porque te detens, vai e batiza-te”. E Paulo perseguia a igreja e não foi necessário provas e outras ações.
Vejamos o caso de Simão o mago, praticava feitiçaria e artes mágicas e mal escutou o evangelho em conjunto com samaritanos por parte de Filipe, creu e foi logo batizado e uns dias depois do seu batismo foi chamado atenção por Pedro pois queria comprar e usar o Espírito Santo para o que fazia antes.
Conforme este caso, o de Eunuco e de todos os outros, a ordem é de ir, pregar e aos que crêem ser batizados e só depois é que vem o ensino e o processo de santificação com a correção e disciplina.
Se estivéssemos à espera de ser totalmente santos, de ter toda a nossa vida em ordem para sermos batizados, ninguém seria batizado.
No dia de Pentecostes as pessoas escutaram o evangelho por parte de Pedro “De sorte que foram baptizados os que, de bom grado, receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas;”
quantos arrependeram? creram? e quantos foram batizados? O arrependimento, aceitação do evangelho e batismo é tudo o mesmo, a surgir na mesma altura.
Seria impossível o conhecimento da vida de quase 3 mil pessoas, da vida do Eunuco, da vida de Simão o mago, e não vemos esse ensino da preocupação com sinais e provas de mudança na vida das pessoas antes do batismo. A única condição é crer, “é lícito se crês”. Só depois do batismo é que surge isso. Conforme I Cor.5:11-13 é Deus que julga os de fora, e só devemos julgar e disciplinar os que são de dentro, que já passaram pelo batismo, só depois desse passo é que inicia a santificação.


Claro que devemos examinar a nós próprios, mas existem alguns depois do batismo se dizem irmãos, mas não se examinam e praticam iniquidades e mau testemunho, para isso Deus deixou na igreja dons espirituais e cristãos maduros e experientes que conhecem muito bem as Escrituras e estão preparados para ensinar, edificar e disciplinar na verdade bíblica para ordem na igreja, onde um dia darão conta também a Deus da sua extrema responsabilidade.
Hebreus 13:17 Obedecei aos vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam pelas vossas almas, como aqueles que hão-de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. Por vezes na igreja surgem situações diferentes e a esses responsáveis cabe o dever de decidir o melhor para a igreja local.

 

Após o batismo é que daí em diante inicia a santificação,  o batizado deve deixar toda a sorte de vícios e jogos (João 8:32 e 36; Luc. 21:34-36), resolver a sua situação matrimonial (1a Cor. 6:18) e vestir-se de forma decente (1a Tim. 2:9-10; 1a Ped. 3:1-7). O batismo é um ato de seriedade e de responsabilidade onde as suas pós-ações e frutos devem assim refletir, sinal de verdadeira fé e conversão e certeza de que já está salvo (Atos 8:36-38).

Se o salvo morrer sem ter oportunidade de ser batizado irá para o Céu. Foi o caso do ladrão da cruz (Luc. 23:33-43). Quando você creu em Cristo e foi salvo, passou a fazer parte da Igreja ou o corpo de Cristo mundial, e passou à posição de filho de Deus. Quando você é batizado (não havendo nenhum impedimento), passa também a ser membro da Igreja local. Isto lhe concede direitos e deveres.

A) DIREITOS

Como membro, você tem direito de votar e ser votado para cargos ou funções nas assembleias da Igreja, participar das discussões e dar opiniões, participar da Ceia do Senhor, etc…

B) DEVERES

Você tem o dever de manter comunhão com seus irmãos em Cristo, manter os cultos com sua presença, ser fiel em tudo na sua vida em geral, diante de Deus e dos homens. Ser fiel nos dízimos e ofertas, participar da vida ativa da Igreja, servindo a Deus de coração. Dar testemunho compatível com o Evangelho em todos os ângulos da sua vida, etc..

Deve consagrar a Deus sua vida, sua família e tudo o que possuir ou o envolver. Deve estudar a Bíblia e obedecer à liderança da Igreja
Evangelizar é um direito e um dever de todo batizado

C) APELO

Este estudo aplica-se mais aos salvos. Se alguém, no entanto, ainda não nasceu de novo e não tem certeza da salvação, arrependa-se e creia pela fé que os seus pecados crucificaram Jesus. Creia que Cristo já recebeu na cruz o castigo que você merecia, e receba hoje pela fé o perdão e a salvação (Rom. 3:20 e v. 28; Ef. 2:8-9; Isaias 53:4-6).

CONCLUSÃO

O batismo cristão começou com Jesus. Não é um sacramento mas a primeira ordenança. Deve ser feito por imersão e em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. O batismo, assim como, as boas obras não salvam nem ajudam a salvar. O batismo é para os salvos. Todo o salvo deve batizar-se, obedecendo à ordenança de Jesus. Dando o testemunho público de sua fé e salvação em Jesus Cristo. Deve integrar-se à vida ativa da Igreja, sempre exercendo seus direitos e deveres, sendo abençoado e sendo uma bênção. Leia a Bíblia. Comece pelo Novo Testamento. Amém.

Partilhar o Artigo

Comentários

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

2 × 4 =